GUAJARÁ-MIRIM Rondônia

O 7 de Setembro é de todo o povo brasileiro. Que o respeito a vida e ao Brasil se sobreponha ao fanatismo e ao obscurantismo

Em 7 de Setembro de 1822 o Brasil rompeu seu vínculo político com o Reino Português, pondo um ponto final ao colonialismo iniciado no século XV com a coroa portuguesa e declarando-se definitivamente como um país independente. A independência do Brasil foi resultado de uma série de transformações políticas, econômicas e até mesmo geográficas iniciada com o Período Joanino em 1808 com a vinda da família real portuguesa para o Brasil fugindo das ameaças do Império napoleônico na península ibérica.

A independência do Brasil não trouxe grandes transformações sociais e econômicas para a população brasileira, a monarquia foi o modelo adotado, a escravidão permaneceu por quase um século ainda, a concentração de terras ainda é um sério problema, a interferência econômica outrora apenas inglesa, hoje, no mundo globalizado, é imposta pelas grandes potências e pelas transnacionais, nossos biomas continuam sendo explorados, a desigualdade e a exclusão social é cada vez maior, os bolsões de pobreza continua aumentando e a Educação continua sofrendo na tentativa de transformar esse país em uma nação verdadeiramente justa e que oportuniza  condições a todos os brasileiros de se desenvolverem. 

Atravessamos um momento delicado em nossa jovem Democracia, ameaçada pela polarização política e no ataque as instituições que são os pilares de nosso modelo republicano e que asseguram o estado democrático de direito.

Precisamos fortalecer e solidificar nossa relação com o sistema democrático, buscando justiça social e desenvolvimento sustentável, a separação e o equilíbrio entre os poderes e instituições governamentais eficientes e eficazes e que assegurem o estado democrático e direito. O Estado Democrático de Direito é um Estado que visa à garantia do exercício de direitos individuais e sociais, à defesa dos direitos humanos e das liberdades fundamentais. Defender a Democracia é defender a liberdade e fundamentalmente a vida. A jovem democracia brasileira precisa ser lapidada e defendida pelo povo através do debate político e da soberania do voto popular.

Temos consciência das falhas de nosso poder judiciário, bem como das relações nada republicanas de grande parte de nosso parlamento com o poder executivo, relações essas que ficam evidentes na política do toma lá dá cá que vem sendo uma marca registrada de vários governos, inclusive do atual.  Precisamos de mudanças em nossa Constituição, de investimentos em nossa Educação e na formação política sólida de nosso povo para não serem enganados por retóricas golpistas e por fundamentalismo e fanatismo, do fortalecimento de nossos poderes, de saúde, de fiscalização ambiental, de mudanças na política econômica, que dolarizada, beneficia apenas alguns poucos empresários. 

O 7 de Setembro é de todo o povo brasileiro, é um dia de festa e não de terror, de medo, de intimidação, de violência e de ruptura constitucional com consequências terríveis para nossa população. Que o respeito a vida e ao Brasil se sobreponha ao fanatismo e ao obscurantismo.

Não é na resignação, na incredulidade e no silêncio que iremos mudar nossa realidade, é através da tomada de consciência, na inquietude, na resiliência, na esperança e na luta contundente pelo aperfeiçoamento de nosso sistema político/democrático.

Após quase dois séculos de independência política o Brasil continua trilhando seu caminho em busca de uma "independência" real e concreta pela LIBERDADE de seu povo!

Alex Duarte e Patricia Marchi

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem