Jornal O Mamoré
GUAJARÁ-MIRIM Rondônia

Cinco municípios de Rondônia concentram 90% dos casos de malária no estado em 2022; veja como se proteger


Mosquito Anopheles é o transmissor da malária 

Porto Velho, Candeias do Jamari, Guajará-Mirim, Nova Mamoré e Machadinho do Oeste concentram 90% dos casos de malária no estado de Rondônia, segundo dados da Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa) divulgados nesta sexta-feira (20).

Mesmo com os registros concentrados nesses municípios, o levantamento da Agevisa aponta que eles conseguiram reduzir a incidência da doença em 2022 se comparado com o ano anterior. As reduções foram de 9%, 25%, 6%, 49% e 3,7%, respectivamente.


No total, em 2022 Rondônia registrou 12.257 casos de malária, no ano anterior foram 14.339 casos, o que representa uma diminuição de 14,5%.


Segundo o Ministério da Saúde, no Brasil, a maioria dos casos de malária se concentra na região amazônica.


"Os locais preferenciais escolhidos pelos mosquitos transmissores da malária para colocar seus ovos (criadouros) são coleções de água limpa, sombreada e de baixo fluxo, muito frequentes na Amazônia Brasileira".


Essa frequência é notada em Rondônia se observadas as áreas com maior incidência de casos. Dados repassados pela Agevisa mostram que, ainda no ano passado, em Rondônia:

45% dos casos de malária se concentram em localidades rurais;

nas zonas urbanas a doença corresponde a 28,4% dos casos;

já a transmissão em "áreas especiais" representa 26,6% dos quais 21,2% em área indígena e 5,4% em áreas de garimpo.


A Agevisa aponta que para reduzir a incidência da doença deve ser contínuo o trabalho conjunto entre o governo estadual, os municípios e a própria população. Veja abaixo quais as medidas de prevenção para combater o mosquito transmissor da malária:


Para toda a população

uso de repelentes,

uso de mosquiteiros;

roupas que protejam pernas e braços - principalmente ao entrar em regiões de mata;

telas de proteção em portas e janelas.


Para governos:

obras de saneamento para eliminação de criadouros do vetor;

limpeza das margens dos criadouros;

ações de borrifação de inseticida.


A transmissão da malária

A malária é uma doença infecciosa febril aguda, transmitida pela picada da fêmea do

mosquito Anopheles.


A malária não é uma doença contagiosa, ou seja, uma pessoa doente não é capaz de transmitir a doença para outra pessoa. Para contrair a malária é necessário "ser picado" pela fêmea do mosquito Anopheles, infectada pelo protozoário Plasmodium.


Os sintomas

Ainda conforme o Ministério da Saúde, entre os sintomas mais comuns da malária estão:

febre alta;

calafrios;

tremores;

sudorese;

dor de cabeça, que podem ocorrer de forma cíclica.


Já a malária grave pode conter um ou mais desses sinais e sintomas:

prostração;

alteração da consciência;

dispnéia ou hiperventilação;

convulsões;

hipotensão arterial ou choque;

hemorragias.


Fonte: G1


Chegou agorinha em GUAJARÁ-MIRIM, a novidade de 2023.



Isso mesmo, se você queria fazer AGRONOMIA...Chegou a SUA HORA. E a UNOPAR é o lugar certo. Acabou de chegar e você pode ser a primeira pessoa a se inscrever.

Aceita o desafio?

Matrícula por apenas R $59,00.


Fale conosco no WhatsApp (69) 3541-5375, repetindo (69) 3541-5375 e #boraprafacul.






                                     Você encontra modelos dos tamanhos P ao EXG. 
Confira nossas redes sociais:  Facebook: M&M Modas  /   Instagram: mmmodasgm\


Rádio Comunitária FM
On line


Mistura Forrozeira
Apresentação Didi

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem