Coluna Almanaque: SOBRE ASSUNTOS CAMERAIS

Por Fábio Marques

 


Por Fábio Marques

Nas últimas semanas atores sociais desta província buscaram através de protestos manifestos denegrir a imagem da Câmara Municipal. A falta de escrúpulos de alguns partícipes deste levante aliada às suas ignorâncias talvez seja aquilo que hoje impede a cidade de progredir.
A pretexto de combater a ausência de atitudes de agentes políticos, alguns citadinos passaram agora a agredir de forma pessoal e a ignorar regras essenciais no trato pessoal para consagrar a impostura e a falta de respeito.
Atento a todo este aparato contrário à conjunção de esforços em prol de uma cidade melhor, o presidente da Casa de Leis, João Vanderlei, respeita as críticas que embora injustas fazem parte do cotidiano. Não obstante, parece existir uma imensa lacuna entre os discursos dos protestos e os justos reclames.
Para o presidente do Legislativo Municipal está valendo participar de uma mecânica que funcione buscando soluções para os problemas de Guajará-Mirim. A este ofício político é que se dedica todos os dias e o qual procura infundir naqueles que lhe ajudam e também naqueles a quem possa alcançar.
Brilhante de propostas, valente no estilo e nas ideias, João Vanderlei não enfeita opiniões e vai direto ao ponto com as palavras. Discursa como um general nos campos de batalha. Quando os ânimos começam a se exaltar nas discussões plenárias, também tem sabido agir com energia. Exemplo de honesta conduta, da reta intenção e da sincera disposição em estar servindo, possui palavras e atitudes capazes de atiçar a confiança nos cidadãos e acionar o motor de arranque do progresso na cidade.
Em seu segundo mandato, o Presidente do Parlamento entende que a Câmara Municipal é formada por várias correntes políticas e nem sempre as propostas e linhas de conduta compactuam de forma unânime. “Existem acordos na vida política que são precisos que se efetuem com clareza e à luz dos parâmetros éticos. Qualquer desvio tem que ser punido. Demagogia é fazer a defesa da ética para fora e não colocar esta ética para dentro daquilo a que se propôs”, advoga.
A política como ciência é uma matéria que diz respeito ao governo para os cidadãos, às melhorias na qualidade de vida da cidade e de todos os que na cidade residem. Neste entremeio é preciso trabalhar para a construção do futuro da cidade. A Câmara Municipal trabalha querendo formatar uma coalizão com todos os cidadãos de bem visando reerguer a chamada Cidade Pérola.
Todos têm o direito de expor seus protestos e reclames. Mas este direito não poderá nunca dar margem para ferir o direito que ao outro lhe compete. Num conjunto social, devido às opiniões diversas sobre assuntos diversos, é impossível conseguir um consenso acerca de qualquer problema. Ainda assim devemos sempre batalhar por este consenso. Através da conjunção de esforços advindos de todos os setores sociais é que se poderá resultar na vitória da cidade sobre os problemas que a afligem.
Quanto ao futuro, espera-se que seja do agrado de todos. Onde não dominam os fatos, dominam as emoções.
*O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Mamoré não tem responsabilidade legal pela "opinião", que é exclusiva do autor.
                                                Você encontra modelos dos tamanhos P ao EXG. 

Confira nossas redes sociais:  Facebook: M&M Modas  /   Instagram: mmmodasgm\



Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem