Deputado estadual afirma que estudantes rondonienses estão sem aulas há mais de 1 ano e Sintero solicita explicações da ALE/RO


O Sintero encaminhou o ofício nº209/2021 ao presidente da Assembleia Legislativa do Estado de Rondônia (ALERO), solicitando audiência com os deputados estaduais e cobrando explicações quanto à declaração feita por um parlamentar durante a sessão de votação do Projeto de Lei que torna a Educação como atividade essencial no Estado, de que os estudantes rondonienses estão sem aulas há mais de 1 ano. O Sintero foi surpreeendido com a votação do projeto por não ter sido envolvido nas discussões, mesmo sendo representante legal da categoria e recebeu com estranheza e preocupação a afirmação dada pelo parlamentar, que demonstra desconhecer os trabalhos e esforços desenvolvidos pelos trabalhadores/as em educação durante a pandemia da Covid-19. 

 

O Sintero já havia posicionado anteriormente contrário ao Projeto de Lei, de autoria do deputado estadual Eyder Brasil (PSL), por defender o retorno das aulas presenciais somente após  vacinação da categoria, bem como da comunidade escolar. Entretanto, tomou conhecimento através das mídias sociais de que estaria sendo excluído do debate, uma vez que não foi notificado formalmente de que a matéria estaria sendo colocado em votação na Assembleia Legislativa do Estado de Rondônia (ALE/RO). 

 

O Sintero espera que sua solicitação seja atendida tão logo e destaca que buscará explicações e uma retratação pública do parlamentar, uma vez que afirmação foi recebida como uma espécie de insulto aos profissionais da Educação. 

 

O Sintero esclarece que os trabalhadores e trabalhadoras em educação não paralisaram suas atividades na pandemia do coronavírus, mas sim passaram a utilizar o ensino remoto como alternativa diante da nova realidade, visto que os profissionais estavam impossibilitados de manter o contato físico com os alunos mediante adoção das medidas de distancimento social como método de contenção da disseminação da Covid-19. Durante este período, a categoria teve que se reiventar e dominar as ferramentas virtuais mesmo não tendo apoio estrutural e financeiro do Poder Público, tendo que custear de forma unilateral as despesas doméstica que, por sinal, tiveram acréscimo significativo para todos/as. Além disso, tiveram que fazer aquisição de equipamentos eletrônicos que não haviam sido planejados, mas que se faziam necessários em virtude do novo modelo de trabalho. Inclusive, o Sintero relatou toda a situação e solicitou através de ofícios à ALE/RO, que elaborasse uma Lei, criando um auxílio pandemia no valor de R$500, com o objetivo de prover assistência financeira à categoria. Mas, sua reivindicação não foi atendida. 

 

Apesar de não considerar o modelo remoto como ideal, uma vez que a tecnologia não pode substituir o educador e nem a interação social entre os estudantes, o trabalho da categoria não pode ser ignorado e classificado como inexistente, pois foram grandes os eforços físicos, mentais e financeiros para que a Educação de Rondônia mantivesse o mesmo nível de excelência que sempre teve. Logo, o Sintero lamenta a postura do parlamentar e solicita mais reconhecimento e valorização por parte dos deputados estaduais aos trabalhadores/as em educação, que sempre foram e serão essenciais no processo de aprendizagem. 

 

  O Sintero também encaminhou ofício ao Governador Marcos Rocha, solicitando o veto do referido projeto e sugerindo que sejam discutidas em conjunto as normas sanitárias para a retomada presencial, além da data de retorno, acolhimento da comunidade escolar e outras questões.

 

“Nossos companheiros e companheiras estão trabalhando remotamente desde o início da pandemia, de forma improvisada, sem que houvesse planejamento coletivo deste trabalho. Ainda assim, não fugimos de nossas responsabilidades e, por inúmeras vezes, ultrapassamos nossa carga horária para atender os alunos, pais e responsáveis. Não é justo que nossa categoria sofra com esse tipo de julgamento. Exigimos uma retratação desse pronunciamento infeliz”, disse Lionilda Simão, presidente do Sintero.

Fonte: Assessoria

                                                Você encontra modelos dos tamanhos P ao EXG. 

Confira nossas redes sociais:  Facebook: M&M Modas  /   Instagram: mmmodasgm\


Postagem Anterior Próxima Postagem