GUAJARÁ-MIRIM Rondônia

Extrativistas da Resex Rio Ouro Preto em Guajará-Mirim recebem calcário para aumentar a produtividade agrícola

                                 

Foram distribuídos 600 quilos de calcário para cada família da região

 Extrativista e agricultores da Unidade de Conservação da Reserva Extrativista (Resex) do Rio Ouro Preto, no município de Guajará-Mirim, receberam 600 quilos de calcário, cada. O calcário foi entregue pelo Governo de Rondônia, por meio da Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri) e Entidade Autárquica de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Rondônia (Emater-RO).

Este insumo é importante para a recuperação de solos degradados e o desenvolvimento de atividades agrícolas. A ação faz parte do programa “Mais Calcário”, e é a preparação para o repasse de 77 mil mudas de café clonal e 4 mil mudas de cacau para os moradores da região, previsto para ocorrer em janeiro do próximo ano, que vai beneficiar 35 produtores com o programa “Plante Mais”. Geuzenira Ilaede Alves de Souza, gerente do escritório da Emater em Guajará-Mirim, afirmou que o programa do Governo de Rondônia, visa melhorar a qualidade do solo, alavancar a produção no Estado e fortalecer a renda do produtor.

                   Custódio Maciel do Nascimento ficou satisfeito com o programa do Governo de Rondônia

O extrativista Custódio Maciel do Nascimento, residente no Ramal do Bananal, zona Rural do município de Guajará-Mirim, enfatizou a importância do benefício. “Foi um incentivo muito grande para gente, porque não é cultura trabalhar com café, mas é uma necessidade de a gente diversificar nossa produção, lá dentro da Unidade de Conservação da Reserva Extrativista do Rio Outro Preto. Esse calcário veio para gente trabalhar a terra e fazer o plantio com segurança. Essa entrega de calcário vai ficar na história para gente, todas as comunidades da Resex estão recebendo esse benefício do Governo de Rondônia. Agradecemos muito esse trabalho junto com às comunidades, isso é benefício para nós e uma forma de segurar o homem no campo, que não terá motivo para ir embora para cidade”.

Fonte: Secom/RO

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem