GUAJARÁ-MIRIM Rondônia

Governo de Rondônia anuncia a retirada da obrigatoriedade do uso de máscara em locais abertos e fechados no Estado

Governo de Rondônia anunciou a não obrigatoriedade do uso de máscara em locais abertos e fechados

Durante coletiva de imprensa ocorrida na manhã deste sábado (12), o Governo de Rondônia anunciou a não obrigatoriedade do uso de máscaras em locais abertos e fechados em todo o Estado. A medida passa a valer por meio de decreto, que vai entrar em vigor na segunda-feira (14), devido as atuais condições sanitárias, que causaram a queda do índice de internações e da alta no número de pessoas curadas pela covid-19.

Desde o início da pandemia, o Poder Executivo tem trabalhado de forma intensa para combater o vírus, com várias ações feitas no Estado, em todos os eixos do Plano Estratégico, para que, mesmo com a situação de calamidade pública e o funcionamento parcial dos serviços, o desenvolvimento pudesse continuar.

Várias ações foram desenvolvidas, como as recomendações higiênicas, ampliação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em hospitais, compra do Hospital de Campanha, recebimento e distribuição precisa de lotes de vacinas recebidas, barreiras sanitárias, boletins diários e principalmente, a união com os gestores municipais foram importantes para que Rondônia mudasse o cenário com relação a pandemia.

O Estado passou a ser destaque em vacinação na região Norte do País, sendo o primeiro em aplicação de imunizantes contra o coronavírus na população, batendo recorde na agilidade na distribuição das vacinas às Gerência Regionais de Saúde, e como consequência, o número de ocupações em UTIs diminuiu de forma considerável.

O governador Marcos Rocha declarou que essa situação foi acompanhada por um comitê de profissionais de saúde durante todo este período, onde se reuniram para decidir e orientar sobre a diminuição da covid-19 em Rondônia. “Há dois anos a gente vinha enfrentando e acompanhando a situação da pandemia. Tivemos perdas de vidas, várias pessoas contaminadas, entretanto, aos poucos fomos aprendendo a entender essa doença”.

O governador declarou que as ações desenvolvidas pelo Governo de Rondônia para o combate à pandemia tiveram êxito, levando a uma grande baixa no número de contaminados, além da quantidade de TIs que foram pouco usadas. Diante disto, declarou que não será mais obrigatório o uso de máscaras nos ambientes abertos e fechados, porém, é preciso ter sabedoria neste momento.

“Ainda sim, para quem apresentar algum sintoma de gripe, será necessário e importante o uso da máscara para evitar a proliferação da doença. Também vamos continuar mantendo as práticas higiênicas, como lavar as mãos periodicamente, usar o álcool em gel, para não deixarmos de manter os cuidados necessários”, declarou o governador.

Finalizando a coletiva de imprensa, o chefe do Poder Executivo deixou claro que por lei estadual, nenhum cidadão é obrigado a apresentar comprovante de vacinação ao adentrar em qualquer estabelecimento, pois todos os cidadãos tem total liberdade de circulação.

MONITORAMENTO

Desde abril de 2020, o Governo do Estado desenvolveu uma inteligência artificial que auxilia as tomadas de decisão, prevendo os próximos acontecimentos, relacionados à pandemia do novo coronavírus. Esse sistema numérico mostra o presente e o passado para determinar as probabilidades dos cenários futuros da covid-19.

A cadeia de transmissão da covid-19 apresenta sequências lógicas que permitem deduzirmos os acontecimentos futuros, um exemplo disso acontece com os testes. Quando o número diário de testes aumenta, pode-se deduzir que logo mais o número de pessoas precisando de leitos em hospitais também aumentará.

Muitos outros indicadores importantes também apresentam essas relações, sendo alguns dos principais: novos casos; novas curas; número de ativos; velocidade de transmissão; número de internações em UTIs; proporção de ativos internados e muitos outros.

MEDIDAS

Desde o fim de 2021, com os casos de covid-19 em alta no Estado, houve também o surto do vírus influenza, que levou o Governo de Rondônia a anunciar um Plano de Ações junto ao secretariado e prefeitos dos 52 municípios, com medidas para conter as doenças.

Foram cinco medidas, sendo a primeira delas foi oferecer o medicamento Tamiflu, considerado eficiente contra a influenza, e foram distribuídos por meio da Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa), mais de 100 mil comprimidos para a população do Estado.

A segunda medida foi intensificar a vacinação por meio de busca ativa e do “SOS Vacinação”, para que a população pudesse completar o ciclo vacinal (1ª e 2ª doses, e dose de reforço) e estar imunizada contra o coronavírus, devido a circulação da variante “Delta” no Estado. Atualmente, são mais de um milhão e duzentos mil rondonienses vacinados com a 1ª dose e mais um milhão com a 2ª dose, representando 64,10% da população vacinada.

A terceira medida foi a testagem em massa para a detecção da covid-19 na população e a quarta foi a logística de atendimento nas unidades hospitalares, com a reativação do Centro de Reabilitação de Rondônia (Cero), o Hospital de Campanha da zona Leste e fazer a contratação gradativa de profissionais de saúde, conforme necessidade e ainda, a distribuição de leitos específicos para cada uma dessas doenças, além da contratação de leitos, por meio de hospitais particulares.

Campanhas de conscientização da população sobre a importância de se proteger contra o coronavírus e a influenza, a importância da vacinação e da testagem pela mídia foi a quinta medida a ser tomada.

INFECÇÕES

Em 23 de Janeiro de 2022, a inteligência computacional identificou que a velocidade do aumento no número de pessoas infectadas, iniciava uma tendência de queda, que foi consolidada uma semana depois, em 30 de janeiro.

Em 10 de fevereiro, uma nova análise apresentou a viabilidade de retirada de máscaras. Essa análise considerou a taxa de transmissão em diversos países, estudos científicos, a velocidade de transmissão local, taxas de vacinação, número de contaminações acumuladas e taxas de ocupação, assim como a relação mutação versus imunização e agravamentos.

Como previsto, os novos casos pararam de subir e iniciou-se uma diminuição expressiva nos exames do Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) e em 12 de fevereiro, o número de curados ultrapassou o número de novos casos. Por consequência, as internações em UTIs de hospitais também começaram a diminuir.

Com isso, a pandemia perdeu força no Estado de Rondônia em cerca de dez vezes, se comparado com o dia 27 de janeiro, que havia 19.417 casos ativos, relacionáveis à 525 demandas por internações em UTIs, que eram de 3%, enquanto que em 9 de fevereiro, havia 31.140 casos ativos, relacionáveis à 102 demandas por UTIs, sendo 0,3%.

RESULTADOS

Portanto, é observado que há mais de 29 dias, houve uma queda significativa de casos ativos no Estado. Além disso, houve mais curas do que contaminações por covid-19 nos últimos 26 dias.

A análise mostra ainda que nos últimos 31 dias, houve a diminuição no número de exames para a detecção do vírus no Lacen e como resultado, o sistema indica a segurança para a retirada de máscaras há 28 dias.

Fonte: Secom/RO








                                     Você encontra modelos dos tamanhos P ao EXG. 
Confira nossas redes sociais:  Facebook: M&M Modas  /   Instagram: mmmodasgm\


Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem